INCIDÊNCIA DE CASOS DE SÍFILIS CONGÊNITA E ANÁLISE DO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO

Palavras-chave: Gestantes, Recém-nascidos, Penicilina G, Prevenção primária

Resumo

A sífilis congênita ocorre pela transmissão transplacentária do Treponema Pallidum da mãe para seu concepto. Apesar de ser uma doença com possibilidade de prevenção, a sífilis congênita continua a aumentar no Brasil e no mundo. Este é um estudo de caráter exploratório e quantitativo que buscou encontrar o número de casos de sífilis congênita no estado do Paraná/BR e em cinco cidades do estado: Cascavel, Curitiba, Maringá, Londrina e Ponta Grossa entre os anos de 2014 a 2017. Além disso, o estudo buscou descrever o perfil epidemiológico das mães com sífilis congênita na cidade de Cascavel entre os anos de 2014 a 2017. Foram analisadas na pesquisa 2.690 mulheres notificadas no Paraná, demonstrando um aumento no número absoluto de casos de sífilis congênita, porém, o número de casos por mil nascidos vivos ficou menor no Paraná, comparando-se à média nacional. A partir dos dados, verificou-se que há, ainda aumento no número de casos de sífilis congênita, os quais possivelmente ocorrem devido a falhas no pré-natal, tanto por parte da equipe de saúde quanto das pacientes. Diante desses dados, é preciso avaliar a melhoria da qualidade do pré-natal e a conscientização das gestantes sobre os riscos da sífilis congênita.

Biografia do Autor

Alana Schirmer Caporal, Centro Universitário da Fundação Assis Gurgacz

Mestre em Ensino nas Ciências da Saúde do programa de pós-graduação da Faculdade Pequeno Príncipe, médica pela Faculdade Assis Gurgacz, residência Médica em Medicina de Família e Comunidade pela fundação Hospitalar São Lucas-FAG. Médica na Prefeitura Municipal de Cascavel-PR. Professora na Graduação da Faculdade de Medicina da Faculdade Assis Gurgacz, Disciplina de Saúde Pública

Referências

ANDRADE, A. L. M. B. et al. Diagnóstico tardio de sífilis congênita: uma realidade na atenção à saúde da mulher e da criança no Brasil. Revista Paulista de Pediatria, p. 376-381, 2018.

ARAÚJO, C. L. D. et al. Incidência da sífilis congênita no Brasil e sua Relação com a Estratégia Saúde da Família. Revista de Saúde Pública, Brasília, v. 46, n. 3, p. 479-486, 2012.

AVELLEIRA, J. C. R.; BOTTINO, G. Sífilis: diagnóstico, tratamento e controle. Anais Brasileiro de Dermatologia, p. 111-126, 2006.

BRASIL. Diretrizes para o controle da Sífilis Congênita - Manual de Bolso. Ministério da Saúde. [S.l.]. 2006.

BRASIL. Saúde Brasil 2014- Uma análise da situação em saúde e causas externas. Ministério da Saúde. Brasília. 2014.

BRASIL. Boletim Epidemiológico Sífilis 2016. Ministério da Saúde. Brasília. 2016.

BRASIL. Boletim Epidemiológico Sífilis 2017. Ministério da Saúde. Brasília. 2017.

BRASIL. Sífilis 2017. Ministério da Saúde. Brasília. 2017.

BRASIL. Sífilis 2018. Ministério da Saúde. Brasília. 2018.

CARDOSO, A. R. P. et al. Análise dos casos de Sífilis gestacional e congênita nos anos de 2018 a 2010 em Fortaleza, Ceará, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 26, n. 03, p. 563-574, Fevereiro 2018. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018232.01772016

CAVALCANTE, A. E. et al. Diagnóstico e Tratamento da Sífilis: uma investigação com mulheres assistidas na atenção básica em Sobral,Ceará. Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis, v. 24, n. 4, p. 239-245, 2012.

COSTA, C. V. D. et al. Sífilis congênita: repercussões e desafios. Arquivos Catarinense de Medicina, v. 46, n. 3, p. 194-202, 2017.

DA, G. et al. Mortality associated with congenital syphilis in the United States, 1992-1998. Pediatrics, v. 109, n. 5, Maio 2002.

DANTAS, C.; ALCÂNTARA, J. F.; SILVA, R. D. C. V. D. Fatores associados ao aumento de casos de sifilis congenita: uma revisão bibliográfica. [S.l.]. Cadernos de Saúde Pública, 2016. https://www.scielo.br/pdf/csp/v32n6/1678-4464-csp-32-06-e00082415.pdf

DOMINGUES, R. M. S. M. et al. Sífilis congênita: evento sentinela da qualidade da assistência pré-natal. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 47, n. 1, p. 147-157, fevereiro 2013.

DOMINGUES, R. M. S. M.; LEAL, M. D. C. Incidência de Sífilis congênita e fatores associados à transmissão vertical da sífilis: dados do estudo Nascer no Brasil. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 32, n. 6, p. 1-12, junho 2016.

GONDIM, A. B. et al. INCIDÊNCIA E FATORES DE RISCO PARA A SÍFILIS CONGÊNITA NO ESTADO DA PARAÍBA.

GUINSBURG, R.; SANTOS, A. M. N. D. Critérios diagnósticos e tratamento da sífilis congênita. Sociedade Brasileira de Pediatria, São Paulo, Dezembro 2010.

JR, S. et al. Congenital syphilis: trends in mortality and morbidity in the United States, 1999 through 2013. American Journal of Obstetrics & Gynecology, v. 214, n. 3, Março 2016.

LIMA, M. G. et al. Incidência e fatores de risco para sífilis congênita em Belo Horizonte, Minas Gerais, 2001-2008. Ciência e Saúde Coletiva, v. 18, n. 2, p. 499-506, fevereiro 2013.

LORENZI, D. R. S. D.; MADI, J. M. Sífilis Congênita como indicador de Assistência Pré-natal. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 23, n. 10, p. 647-652, 2001.

NONATO, S. M.; MELO, A. P. S.; GUIMARÃES, M. D. C. Sífilis na gestação e fatores associados à sífilis congênita em Belo Horizonte - MG, 2010-2013. Epidemiologia Serviço de Saúde, Brasília, v. 24, n. 4, p. 681-694, outubro-dezembro 2015.

NUNES, P. S. et al. Sífilis gestacional e congênita e sua relação com a coobertura da Estratégia Saúde da Família, Goiás, 2007-2014: um estudo ecológico. Epidemiologia Serviço Saúde, Brasília, v. 27, n. 4, 2018.

PADOVANI, C.; OLIVEIRA, R. R. D.; PELLOSO, S. M. Sífilis na gestação: associação das características maternas e perinatais em região sul do Brasil. Revista Latino-americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, Agosto 2018.

SÃO PAULO. Sífilis Congênita e Sífilis na Gestação. Revista de Saúde Pública, v. 42, n. 4, Agosto 2008.

TIAGO, Z. D. S. et al. Subnotificação de sífilis em gestantes, congênita e adquirida entre povos indígenas em Mato Grosso do Sul, 2011-2014. Epidemiologia Serviço Saúde, Brasília, v. 26, n. 3, p. 503-512, julho-setembro 2017.

WATSON-JONES D. Syphilis in pregnancy in Tanzania. I. Impact of maternal syphilis on outcome of pregnancy. Journal of Infectious Disease, v. 186, n. 7, Outubro 2002.

Publicado
2020-03-31
Como Citar
Padilha, Y., & Caporal, A. (2020). INCIDÊNCIA DE CASOS DE SÍFILIS CONGÊNITA E ANÁLISE DO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO. FAG JOURNAL OF HEALTH (FJH), 2(1), 1-11. https://doi.org/10.35984/fjh.v2i1.140
Seção
Artigos Originais