IPOMOEA BATATAS NO BRASIL

  • Taynara Cristini Daron Centro Universitário FAG
  • Ana Maria Tomimatsu Centro Universitário FAG
  • Ana Paula Silva Mello Centro Universitário FAG
  • Bianca Aliati dos Santos Centro Universitário FAG
  • Daniela Miotto Bernardi Centro Universitário FAG
Palavras-chave: Batata-doce, Ipomoea batatas, Nutrição, Compostos fenólicos

Resumo

Batata Doce é uma hortaliça tuberosa original do México, cultivar rústico em nosso país predominante na região Sul e Nordeste, fácil de cultivar, pois se adapta em climas tropicais, apresenta baixa tolerância a geada e exige temperaturas relativamente altas. Fundamental na alimentação humana e animal, sendo muito usada para indivíduos que possuem restrições, pois são consideradas alimentos fontes de vitaminas e minerais  para melhor qualidade de vida sua característica destaca-se por macronutrientes e rica em fibras e minerais. Muito ligada a alimentação funcional e desenvolvimento através de biofortificados de produtos inovadores no mercado como farinhas, bolos, cokkies e até mesmo sucos.

Referências

ALVES, E J e colab. Tratos culturais e colheita. BORGES, AL; SOUZA, LS O cultivo da bananeira. Cruz das Almas: Embrapa Mandioca e Fruticultura, p. 32–44, 2004.

ANVISA. RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC No. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. 2005.

Batista Filho M & Rissin A (1993) A TRANSIÇÃO NUTRICIONAL NO BRASIL: TENDÊNCIAS REGIONAIS E TEMPORAIS.Caderno de Saúde Pública

BOUIS H. ENRICHMENT OF FOOD STAPLES THROUGH PLANT BREEDING: A NEW STRATEGY FOR FIGHTING MICRONUTRIENT MALNUTRITION.Nutr Rev.1996 May;54(5):131-7.

CASCON S. Corantes de batata doce roxa para uso em alimentos. Rio de Janeiro, 1984.

CURADO, Marília Regini Nutti; Edson Watanabe; José Luiz Viana de Carvalho; Soraya Pereira da Silva; Semiramis Rabelo Ramalho Ramos; Péricles de Carvalho Ferreira Neves; Maria José Del Peloso; Maurisrael de Moura Rocha; Vanderlei da Silva Santos; Robert Eugene Sch. Biofortificação de alimentos para combater a desnutrição no Brasil. Development, p. 8469–8469, 2010.

DA SILVA, Giovani Olegario e colab. Desempenho de cultivares de batata-doce para caracteres relacionados com o rendimento de raiz. Revista Ceres, v. 62, n. 4, p. 379–383, 2015.

ERPEN, Lígia e colab. Tuberização e produtividade de batata-doce em função de datas de plantio em clima subtropical. Bragantia, v. 72, n. 4, p. 396–402, 2013.

GINTING, E.: Carotenoid extraction of Orange-fleshed sweet potato and its application as natural food colorant. Journal Teknology dan Industri Pangan, v. 24, n. 1, 2013.

GUSSO, MATTANNA, RICHARDS. Yacon: beneficios a saúde e aplicaçoes tecnológicas. Ciencia Rural, Santa Maria, 2014.

GUERRA, Miguel Pedro e TORRES, Antônio Carlos. Indução de embriogênese somática em genótipos de batata-doce. n. 1962, p. 79–83, 2006.

GUIA ALIMENTAR, 2014. Guia Alimentar para a População Brasileira Guia Alimentar para a População Brasileira. [S.l: s.n.], 2014. v. 2.

HARVEST PLUS (2006). DESENVOLVENDO PRODUTOS AGRÍCOLAS MAIS NUTRITIVOS.

LEITE, Cláudio Eduardo Cartabiano. NOVAS CULTIVARES DE BATATAS-DOCES (Ipomoea batatas L. Lam.): POTENCIAL NUTRICIONAL, COMPOSIÇÃO DE BIOATIVOS, PROPRIEDADES ANTIOXIDANTES E ANÁLISE DIGITAL DE IMAGEM. p. 1–201, 2017.

LOPES, C. A.; SILVA J. B. C. Efeito da posição da rama-semente e do controle químico na manifestação do mal-do-pé da batata-doce. Horticultura Brasileira, Brasília, DF, v. 9, p. 43, 1991

LÓPEZ O.P.; JIMÉNEZ A.R.; VARGAS F.D. et al. Natural pigments: carotenoids, anthocyanins, and betalains – characteristics, biosynthesis, processing, and stability.Critical Reviews Food Science Nutrition, v.40, n.3, p.173-289, 2000.

LOTTENBERG, Ana.M.P. Características da Dieta nas Diferentes Fases da Evolução do Diabetes Melito Tipo 1. Disciplina de Endocrinologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), SP, Brasil. Arq Bras Endrocrinol Metab., 2008;52/2.

MACHADO TR. Elaboração e avaliação de filmes biodegradáveis a base de amido de mandioca e bagaço de cevada. Anápolis: Universidade estadual do Goiás; 2013.

MELO, Werito Fernandes De e colab. BIOFORTIFICAÇÃO NO BRASIL (2011 0

BioFORT): AVALIAÇÃO PRELIMINAR DE CLONES DE BATATA-DOCE RICOS EM BETACAROTENO EM DUAS ÉPOCAS. n. 1, p. 2675–2680, 2011.

NASCIMENTO, B. V. Emprego do índice glicêmico e carga glicêmica dos alimentos: uma alternativa nas dietas de pacientes com doenças crônicas? Rio de janeiro, 2012.

NORONHA, Luis Antônio de Castro; Andréa Denise Hildebrandt. Cultivo da batata-doce: principais utilidades. 2018.

NUTTI, João Bosco Carvalho da Silva ;Werito Fernandes de Meio; José Amauri Buso; Marllia Regini. Beauregard. 2010.

NUTTI, José Luiz Viana de Carvalho; Marília Regini. BIOFORTIFICAÇÃO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS PARA NUTRIÇÃO HUMANA. p. 1–50, 2012.

OMS. Healthy diet. n. May, p. 1–6, 2015.

RÓS, Amarílis Beraldo e TAVARES FILHO, João e BARBOSA, Graziela Moraes de Cesare. Produtividade da cultura da batata-doce em diferentes sistemas de preparo do solo. Bragantia, v. 72, n. 2, p. 140–145, 2013.

SEVERO, F. N. Santos; L. Nachtigal; A. F. S. Mello; T. Samborski; A. A. Michelotti; J. Elaboração de doces utilizando batata-doce biofortificada cv. beauregard. n. 55, p. 1–7, 2018.

SILVA., João Eustácio Cabral de Miranda ; Felix Humberto França; Osmar Alves Carrijo; Antonio Fancisco Souza; Welington Pereira; Carlos Alberto Lopes; João Bosco C. Coleção plantar: batata doce. [S.l: s.n.], 1995.

SILVA, Giovani Olegario Da e colab. Desempenho de cultivares de batata-doce para caracteres relacionados com o rendimento de raiz TT - Performance of root yield traits in sweet potato cultivars. Revista Ceres, v. 62, n. 4, p. 379–383, 2015.

SANTOS, NOVELLO. Desenvolvimento de cookies adicionados de farinha de Yacon (Smallanthus sonchifolius) caracterizacao química e aceitabilidade sensorial entre portadores de Diabetes Mellitus.Revista Instituto Adolfo Lutz. Janeiro, 2014.

SILVA, J.B.C. Da e colab. Cartilha-Biofortificacao-Batata-Doce.pdf. . [S.l: s.n.]. , 2010.

SILVA, E. Produção e caracterização de filmes biodegradáveis de amido de pinhão Trabalho de diplomação. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2011.

SOARES I.F.O, FAKHOURI F.M, GIRALDI A.L.F.M, BUONTEMPO R.C. Síntese e caracterização de biofilme de amido plastificado com glicerol ou triacetina. 2014

Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). Sintomas de Diabetes, complicações crônicas. São Paulo, SP.

SOUZA, Antonio Francisco e colab. Batata-doce(Ipomoea batatas(L.) LAM). Embrapa Hortaliças-Circular Técnica (INFOTECA-E), n. 0102-6534, p. 19, 1989.

WATANABE, Marilia Regini Nutti; Jose Luiz Viana de Carvalho; Edson. A Biofortificação como ferramenta para combater a deficiências em micronutrientes. [S.l: s.n.]. , 2006.

Publicado
2020-03-31
Como Citar
Daron, T., Tomimatsu, A., Mello, A., Santos, B., & Bernardi, D. (2020). IPOMOEA BATATAS NO BRASIL. FAG JOURNAL OF HEALTH (FJH), 2(1), 103-116. https://doi.org/10.35984/fjh.v2i1.145
Seção
Artigos de revisão