FEBRE DE ORIGEM INDETERMINADA EM PUERPÉRIO: UM RELATO DE CASO

  • Wanessa Klock Thiesen Centro Universitário da Fundação Assis Gurgacz https://orcid.org/0000-0002-7750-7868
  • Sthefani Klock Thiesen
  • Alberto Angelo Sordi Lunardi
  • Gabriela Eduarda Konig Ghiggi
  • Altino Josué Gonçalves Junior
  • Marcelo Pontual Cardoso Médico. Centro Universitário da Fundação Assis Gurgacz
Palavras-chave: Infectologia, Febre, Puerpério

Resumo

Febre de origem indeterminada é definida como temperatura corporal maior ou igual a 38,3 °C com duração mínima de três semanas sem um diagnóstico estabelecido, apesar de investigação apropriada. A febre de origem indeterminada permanece um dos mais desafiadores diagnósticos em medicina. A epidemiologia é ampla e dependente da etiologia, idade, geografia, exposição ambiental e status imune. As doenças infecciosas são as causas mais prevalentes em países em desenvolvimento, enquanto que em países desenvolvidos, as causas mais prováveis são devido às doenças inflamatórias não infecciosas. Descreve-se o caso clínico de uma paciente de 31 anos de idade, com quadro febril inexplicado instalado após uma semana da realização de cesárea de emergência. Nos exames laboratoriais apresentava leucocitose com desvio à esquerda, com hemocultura e urocultura negativas. Ao ultrassom pélvico transvaginal: Útero aumentado de volume com fundo ao nível da cicatriz umbilical. Cavidade endometrial com pequena quantidade de líquido e coágulos, sem conteúdo expansivo no interior, endométrio fino e ausência de coleções. A paciente foi submetida à extensa avaliação clínica e cirúrgica em busca do esclarecimento da origem do quadro febril, porém este permaneceu inexplicado.

Referências

ARNOW, P.M.; FLAHERTY, J.P. Fever of unknown origin. Lancet, v. 350, n. 9077, p. 575-580, 1997. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(97)07061-X

BLEEKER-ROVERS, C. P. et al. A prospective multicenter study on fever of unknown origin: the yield of a structured diagnostic protocol. Medicine, v. 86, n. 1, p. 26-38, 2007. https://doi.org/10.1097/MD.0b013e31802fe858

BROWN, I.; FINNIGAN, N. A. Fever of Unknown Origin (FUO). In: StatPearls [Internet]. StatPearls Publishing, 2018.

HERSCH, E. C.; OH, R. C. Prolonged febrile illness and fever of unknown origin in adults. American family physician, v. 90, n. 2, p. 91-96, 2014.

JAFARI, S. et al. Epidemiology of Causes of Fever of Unknown Origin in an Academic Center: A Five-Year Evaluation from 2009 to 2014. Archives of Clinical Infectious Diseases, In Press, 2018. https://doi.org/10.5812/archcid.69608

KAZANJIAN, P. H. Fever of unknown origin: review of 86 patients treated in community hospitals. Clinical Infectious Diseases, v. 15, n. 6, p. 968-973, 1992. https://doi.org/10.1093/clind/15.6.968

KAYA, A. et al. The management and the diagnosis of fever of unknown origin. Expert Review of Anti-infective Therapy, v. 11, n. 8, p. 805-815, 2013. https://doi.org/10.1586/14787210.2013.814436

KNOCKAERT, D. C.; VANDERSCHUEREN, Steven; BLOCKMANS, D. Fever of unknown origin in adults: 40 years on. Journal of Internal Medicine, v. 253, n. 3, p. 263-275, 2003. https://doi.org/10.1046/j.1365-2796.2003.01120.x

NETO, H.C; CHAGAS, B.; SOARES, M.; LACHINSKI, R.; LINARTEVICHI, V.F. Síndrome de Stevens-Johnson associada a Fenitoína em pós-operatório de hemorragia intraparenquimatosa cerebral: relato de caso. Fag Journal of Health, v.1, n.4, p. 169-184, 2019. https://doi.org/10.35984/fjh.v1i4.110

ROTH, A. R, et al. Approach to the adult patient with fever of unknown origin. American Family Physician, v. 68, n. 11, p. 2223-2228, 2003.

UNGER, M. et al. Fever of unknown origin (FUO) revised. Wiener Klinische Wochenschrift, v. 128, n. 21-22, p. 796-801, 2016. https://doi.org/10.1007/s00508-016-1083-9

YAMANOUCHI, M. et al. Analysis of 256 cases of classic fever of unknown origin. Internal medicine, v. 53, n. 21, p. 2471-2475, 2014. https://doi.org/10.2169/internalmedicine.53.2218

ZHOU, G.; ZHOU, Y.; ZHONG, C. et al. Retrospective analysis of 1,641 cases of classic fever of unknown origin. Annals of Translational Medicine, v. 8, n. 11, p. 690, 2020. https://doi.org/10.21037/atm-20-3875

Publicado
2020-09-02
Como Citar
Thiesen, W., Klock Thiesen, S., Sordi Lunardi, A., Konig Ghiggi, G., Gonçalves Junior, A., & Pontual Cardoso, M. (2020). FEBRE DE ORIGEM INDETERMINADA EM PUERPÉRIO: UM RELATO DE CASO. FAG JOURNAL OF HEALTH (FJH), 2(3), 416-418. https://doi.org/10.35984/fjh.v2i3.240
Seção
Relatos de caso